ENEM LGBTQIAP+: campanha une pessoas que podem pagar a taxa de inscrição do exame para alunos da comunidade que não conseguem
Divulgação
ENEM LGBTQIAP+: campanha une pessoas que podem pagar a taxa de inscrição do exame para alunos da comunidade que não conseguem

Realizada pelo 3.º ano seguido, a campanha ENEM LGBTQIAP+, procura encontrar pessoas dispostas a pagar a taxa de inscrição do ENEM 2022 para pessoas da comunidade LGBTQIAP+ que não tem condições.

A ação é realizada pelo podcast queer KILL, BIXA, em parceria com a ONG Casinha (organização que promove direitos sociais à população LGBTI+ desde 2017) e o Bissexuality (maior perfil brasileiro sobre bissexualidade no Instagram). E neste ano, entra também a FIO Podcasts | Rede Ativista de Vozes, selo de podcasts ativistas do qual o KILL, BIXA faz parte.

70% das pessoas LGBTI+ não declaram sua orientação sexual e/ou identidade de gênero no ensino médio , de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra da População LGBTI+, realizada pela TODXS, em dezembro de 2020. Cerca de 80% das pessoas trans abandonam o ensino médio durante a idade escolar (entre 14 e 18 anos), conforme relata uma pesquisa realizada pela Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil, de 2017. Já um relatório divulgado pela UNESCO, em 2021, fala em “ambiente hostil” para jovens LGBTI na América Latina, além de destacar que esse cenário dobra a probabilidade de abandono escolar por essas pessoas. Esses dados alertam para as dificuldades que pessoas da comunidade LGBTQIAP+ vivem em sua vida escolar anterior à Universidade.

Há ainda outros fatores que mostram que a causa é importante para muitos jovens LGBTQIAP+, sobretudo, em um período pós-pandêmico, que deixou a economia do país enfraquecida e com alta taxa de desemprego. Esses fatos só colaboram para afastar as populações mais desamparadas de processos que custam algum investimento em dinheiro, além de tempo para estudo. A campanha pretende diminuir esses agravantes.

GG – criador de conteúdo e podcaster (@gg_realoficial) / ((@kbpod)
Divulgação
GG – criador de conteúdo e podcaster (@gg_realoficial) / ((@kbpod)

"Na ausência do Estado, a sociedade acaba precisando assumir a responsabilidade pelo próprio desenvolvimento. A gente age enquanto cobra efetividade dos governos, né? Não é uma coisa ou outra, mas uma coisa e outra.". É assim que GG, criador de conteúdo e podcaster no KILL, BIXA, define a motivação em realizar o movimento de encontrar pessoas dispostas a pagar a taxa de inscrição do ENEM 2022 para pessoas da comunidade LGBTQIAP+ que não tem condições.

Rod Gomes – Gerente de Comunicação, Produtor e Editor de Podcasts (@orodgomes) / (@fiopodcasts)
Divulgação
Rod Gomes – Gerente de Comunicação, Produtor e Editor de Podcasts (@orodgomes) / (@fiopodcasts)

Rod Gomes, gerente de comunicação da FIO, além de produtor e editor no KILL, BIXA, explica o motivo de aderir à campanha: "Impulsionar vozes ativistas também é dar a oportunidade para que elas consigam construir suas próprias possibilidades de trajetória. Nesse período do Brasil onde todas as pautas sociais são alvos constantes de ataques do Governo, é essencial que, mesmo com o desmonte da Educação, ocupemos estes espaços para que possamos construir, juntes, um país melhor para todes".

 Nat Pasetti – fundadora e Presidenta da ONG Casinha (@npstt) / (@casinhaacolhida)
Divulgação
Nat Pasetti – fundadora e Presidenta da ONG Casinha (@npstt) / (@casinhaacolhida)

Nat Pasetti, fundadora e Presidenta da ONG Casinha, que conhece bem a realidade de pessoas da comunidade LGBTQIAP+, em especial a das que vivem em situação de violações de direitos, destaca a importância de ações afirmativas como essa: "Já estamos na 3.ª edição do projeto e acompanhamos de perto o quanto impacta na vida de pessoas LGBTQIA+ em situação de vulnerabilidade social. Muitas têm o sonho de entrar em uma universidade, mas não têm condições para custear a taxa do ENEM. Elas só precisam de um incentivo para que possam buscar a sua autonomia e ocupar esses espaços".

Manu Bittencourt - Criadora do Bissexuality (@manuela_bitten) / (@bissexuality)
Divulgação
Manu Bittencourt - Criadora do Bissexuality (@manuela_bitten) / (@bissexuality)

Já a estudante de Ciências Contábeis na UFPA, Manu Bittencourt, idealizadora e administradora do perfil Bissexuality, vê de perto a ausência de representatividade na Universidade. Ela sabe o quanto o ENEM pode equilibrar essa equação, já que essa foi exatamente sua forma de acesso a uma universidade pública. "Campanhas incentivadoras em prol da comunidade LGBTQ+ são importantes. Nós, que fazemos parte do projeto 'ENEM LGBTQIAP+', temos consciência de que estamos colaborando com oportunidades para pessoas LGBTQ+ ingressarem nas universidades", afirma.

Para participar, a pessoa que quer ajudar ou precisa de alguém que pague a taxa de inscrição, precisar preencher um formulário . Quem quiser ajudar, informa quantas taxas de inscrição poderá pagar, além de nome, telefone e usuário do Instagram. Já quem precisa de ajuda, informa também a que curso pretende se candidatar, declaração de raça/etnia, orientação sexual/identidade de gênero e cidade onde mora. A organização coloca em contato alguém que precisa de ajuda com alguém que quer ajudar, para que o boleto de pagamento seja enviado diretamente de um para o outro.

As inscrições para o ENEM vão até à próxima sexta-feira, dia 21/05. Mas os boletos poderão ser pagos até 27/05. Esse ano, além de pagamento em boleto, a taxa de inscrição poderá ser paga via Pix.

Agora você pode acompanhar o iG Queer também no Telegram! Clique aqui para entrar no grupo . Siga também o perfil geral do Portal iG .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários