Capa do livro de fotografias 'Drags' de Paulo Vitale
Paulo Vitale
Capa do livro de fotografias 'Drags' de Paulo Vitale


O novo livro do fotógrafo Paulo Vitale , lançado pela Editora Brasileira, conta com fotografias de 50  Drag Queens que movimentam a cena paulistana desde o fim da década de 80, e artistas iniciantes em suas carreiras.

O projeto inclui diversas artistas que são referências dessa representação, como Silvetty Montilla, Marcia Pantera, Danny Cowltt, Tchaka, Salete Campari e Lysa Bombom.

"Convidei Drag Queens de vários nichos, amadoras e profissionais, famosas e anônimas, ícones e iniciantes. Meu intuito foi explorar a magia única de cada caracterização, pois, ao usar o próprio corpo como base, essa manifestação artística é visceral e libertadora", afirma Paulo Vitale.

O livro mostra as artistas com e sem suas caracterizações, realçando assim o "ilusionismo de gênero" criado pelas personificações das Drag Queens.

Marco cultural

As Drag Queens contribuíram para o desenvolvimento cultural e criativo da cidade de São Paulo, uma vez que grandes equipes de artistas, cenógrafos, figurinistas, coreógrafos e DJs começaram a se formar e profissionalizar trabalhando nos shows delas.

"Descobri que a grande maioria é tímida e reservada e usa a caracterização como uma roupa de super-heroína, um escudo protetor", diz o fotógrafo.

O lançamento será no dia 4 de junho, das 18h às 22h, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo (Av. Paulista, 2073).

Convite para o lançamento do livro 'Drags' de Paulo Vitale
Paulo Vitale
Convite para o lançamento do livro 'Drags' de Paulo Vitale










Fotos seriam expostas no Museu da Diversidade

As fotos que estão no livro de Paulo Vitale seriam expostas no Museu da Diversidade (MDS) na exposição  DUO DRAG , o que não foi possível após decisão anunciada em 29 de abril proferida pela juíza Carmen Cristina Teijeiro.

A decisão foi baseada a partir de um questionamento de verba levantado pelo deputado Gil Diniz (PL).  O museu permance fechado por tempo indeterminado.

Em entrevista exclusiva ao iG Queer ,  o diretor presidente do Instituto Odeon, Carlos Gradim, à frente da gestão do museu desde janeiro deste ano, afirmou que houve "distorção dos fatos" e avaliou o fechamento do local como "ato homofóbico explícito".








Paulo Vitale já percorreu mais de 50 países fazendo trabalhos editoriais, corporativos e publicitários. Ganhou 15 prêmios Abril com suas fotografias e tem mais de 100 capas publicadas nas principais revistas brasileiras. Já retratou grandes personalidades brasileiras e mundiais, como Nelson Mandela, Oscar Niemeyer, Bill Clinton, Mark Zuckerberg e Pelé. 


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários