Em Ohio, professor é demitido por distribuir pulseiras LGBTQIA+ e responder dúvidas de alunos
Shvets Production/Pexels
Em Ohio, professor é demitido por distribuir pulseiras LGBTQIA+ e responder dúvidas de alunos

Na cidade de Chillicothe, em Ohio, Estados Unidos, um professor gay foi demitido de uma escola, onde atuava como substituto, por ter distribuído pulseiras do orgulho  LGBTQIA+ para alguns alunos. De acordo com superintendente do distrito escolar da região, o professor também teria violado tópicos "políticos e religiosos". Os alunos marcaram um protesto na escola nesta segunda-feira (4)

O professor Jay Bowman lecionava no Huntington High School e distribuiu as pulseiras para alunos do ensino médio. Além disso, o professor afirma ter respondido a uma série de perguntas e questionamentos realizados pelos próprios alunos sobre organizações que têm como intuito defender os direitos das pessoas LGBT.

O professor foi procurado pela WSYX, afiliada à CNN norte-americana. "Se uma criança tem dúvidas e quer honestidade, não acho que deveria ser proibido das algumas respostas. Não estou tentando recrutar ninguém, os pais são os responsáveis. São eles que devem ensinar o certo e o errado aos filhos", disse em entrevista.

O professor chegou a anunciar sua demissão em suas redes sociais no último dia 24, afirmando ter recebido uma queixa do membro do conselho escolar. Ele demonstrou chateação com a decisão da demissão. Três dias depois, ele afirmou que teria violado uma política interna sem saber, mas que mesmo assim não se arrependia.

Leia Também

Também no dia 27, Peter Ruby, superintendente do distrito escolar local, confirmou que Bowman foi desligado por distribuir as pulseiras, mas também por falar sobre assuntos religiosos e políticos. "Por mais que reconheçamos que existem muitos pontos de vista sobre esses assuntos, essa política existe para garantir que os alunos se sintam confortáveis em sala de aula", afirmou Ruby em carta para a comunidade.

Ruby foi perguntado sobre as questões feitas pelos alunos, e afirmou que, naquele momento, mais questões relacionadas a religião e política foram direcionadas a Bowman. Por fim, ele acrescenta que professores substitutos são contratados por uma terceira organização, o que não disciplina os escolhidos para o cargo de acordo com a instituição. "Nós apenas escolhemos não ficar com quem viola as políticas do conselho", explica.

Após a demissão, continuaram usando a pulseira distribuída pelo professor como protesto. No entanto, outra parte dos alunos demonstrou concordar com a demissão, pois cartazes com os dizeres "amor é amor" foram encontrados rasgados. Uma reunião com pais e aluno deve acontecer no próximo dia 11, com o intuito de pedir que as políticas atuais sejam revisadas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários