MC Trans rebate acusação de golpe
Reprodução
MC Trans rebate acusação de golpe


A cantora MC Trans foi acusada na noite da última terça-feira (19), pelo Twitter, de ter aplicado um golpe contra um jovem chamado Moyses Gimenes. De acordo com o relato, ele teria gastado mais de R$13 mil com a cantora. A artista se pronunciou no Instagram e comentou o caso ao iG Queer.

Depois das acusações viralizarem no Twitter, ela afirmou à reportagem que recebeu diversos ataques transfóbicos. "Gostaria de dizer que as pessoas podem, sim, cobrar posicionamentos, esclarecimentos, mas não precisam ser transfóbicas", afirma.


Para a reportagem, a cantora afirma que estava sem comer e "sem cabeça" ao gravar o posicionamento. No próprio posicionamento no Instagram, Trans afirma que estava medicada pois faz tratamento para síndrome do pânico.

Em relação aos valores citados por Gimenes, ela afirma que cobrou por um serviços que tinha prestado e que o jovem estaria agindo de forma oportunista. "Ele tinha tanto tempo para fazer isso e não fez, esperou eu estar em evidência para poder montar esse circo. Ele tá conseguindo destruir minha vida e meu trabalho", declara.

Entenda o caso

Gimenes foi às redes sociais e contou que sonhava em ser famoso e conheceu Trans em um show ao vivo. Ele teria sido convidado para passar alguns dias na casa da cantora, que tinha acabado de fazer uma cirurgia.

O jovem afirma que a cantora teria pedido para que ele pagasse viagens e comida em aplicativos. Além disso, Trans teria escondido Gimenes do filho e da mãe dela diversas vezes.

No relato, o jovem conta que a cantora teria perguntado o que ele gostaria de ser. "Ai eu fui e falei 'ah, famoso'. Aí ela 'sério? Por que não disse antes? Eu posso te ajudar com isso'", relata o rapaz. Ele afirma que Trans não teria pedido remuneração e que ele só gastaria dinheiro com sessões de fotos.

O comportamento da cantora teria mudado após o jovem afirmar que tinha R$20 mil guardados para visitar os parques da Disney, nos Estados Unidos. "Foi aí que ela disse 'então, eu não ia te cobrar nada, mas já que você tem tudo isso, é mais justo eu te cobrar pelo meu trabalho, mostrar que você dá valor para trans'".

Leia Também


A cantora teria cobrado R$8 mil pelo serviço, que foi transferido via Pix. Após o perfil ter crescido no Instagram, Gimenes afirma que ele teria pagado mais R$1,5 mil em um design gráfico indicado por Trans, que era o próprio filho, R$400 para aparecer em notícias e R$1 mil em fotografia e motel, a locação das fotos.

Depois de gastar o valor de R$13 mil, Trans teria mandado o menino ir embora. "Passou o mês de divulgação e ela nunca me perguntava o que eu queria que ela me divulgasse, nada. Fui percebendo a burrada que tinha feito, fui iludido. Tive medo de falar para ela, de confrontar ela, pois ela é muito manipuladora", narra.

O que diz Mc Trans?


Em um vídeo ao vivo no Instagram, a cantora afirmou que o discurso de Gimenes teria sido de querer apoiar o trabalho de uma pessoa trans e que gostaria de contratar seus serviços. O jovem gostaria de ser famoso e estaria inclinado para o caminho de humorista.

Trans teria dito que fecharia uma parceria por um tempo por um valor simbólico, já que os dois já tinham uma laço de confiança, mas afirmou que não deixaria de cobrar porque precisava de dinheiro para gravar seu álbum.

"Minto, não iria cobrar, ele que foi honesto para mim e chegou falando 'gostaria de pagar pelo seu trabalho, não acho justo uma mulher trans não receber pelo que faz'. Eu não estava armada, não tava com uma faca na mão e não obriguei ninguém a me pagar", afirma no vídeo.

Ao contratar o serviço da cantora, ele teria afirmado que era filho de donos de empresas e poderia pagar o dinheiro requisitado por Trans. Ela também afirma que era Gimenes quem tinha todas as ideias, incluindo o ensaio nu, que o jovem acusou a cantora de ter o coagido a fazer.

Ele teria ficado satisfeito com o resultado da consultoria de Trans. No entanto, não teria gostado depois que a cantora o aconselhou a não fazer tantos trabalhos para o público adulto e explorar outros talentos.

"Ele começou a me chantagear. Entrei em uma depressão absurda. Se você não gosta de um serviço pode chegar até mim. Não chegou, foi falar com outra pessoa, montou um circo. Ele disse que não tinha nenhum problema em investir no meu trabalho e ajudar a fazer o meu álbum. Eu aceitei. Eu vendi meu produto", relatou Trans.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários