Bandeira trans
Reprodução/Flickr
Bandeira trans

No mês passado, foi  revelado que Boris Johnson havia desistido de proibir a terapia de conversão na Inglaterra e no País de Gales, mas depois de uma revolta popular, o primeiro-ministro mudou de opinião horas depois. Entretanto, ao mudar de opinião, Johnson disse que a proibição só ocorreria se ela visasse mudar a orientação sexual, não a identidade de gênero.

Apesar da decisão de Boris Johnson, os representantes disseram que o País de Gales, assim como a Escócia, avançariam com proibições abrangentes para não haver mais terapias de conversão , protegendo as pessoas trans, mesmo que a Inglaterra se recusasse.

Na segunda-feira, 25 de abril, a vice-ministra de parceria social do País de Gales, Hannah Blythyn, definiu os próximos passos do país para proibir a terapia de conversão "unilateralmente".

De acordo com o site PinkNews, ela disse em uma declaração: "Como governo, nos comprometemos a garantir que nos tornemos a nação LGBT+ mais amigável da Europa, onde ninguém é deixado de fora ou deixado para trás".

"Hoje estou anunciando vários outros passos que o governo galês está dando para fazer da terapia de conversão uma coisa do passado".

"Além de buscar aconselhamento jurídico para determinar todas as alavancas que temos no País de Gales para acabar unilateralmente com a prática da terapia de conversão; educaremos e conscientizaremos sobre os horrores e a ineficácia das práticas da terapia de conversão, estabelecendo uma campanha dedicada no País de Gales".

Leia Também

Além de legislar contra a terapia de conversão, muitas vezes comparada à tortura, Blythyn disse que "será realizado um trabalho para compreender melhor o impacto da 'terapia' de conversão sobre os sobreviventes para permitir que os serviços de apoio sejam melhorados e estabeleceremos um grupo de trabalho de especialistas, para incluir representantes das comunidades de fé; o setor de saúde e assistência social; e representantes de crianças e jovens, com pessoas LGBT+, para ajudar neste trabalho e aconselhar sobre elementos-chave à medida que uma proibição for desenvolvida".

Blythyn acrescentou que o governo galês e o NHS, o sistema de saúde do País de Gales, haviam assinado o memorando de entendimento da Coalizão contra a Terapia de Conversão, que declara: "A prática da terapia de conversão, seja em relação à orientação sexual ou à identidade de gênero, é antiética e potencialmente prejudicial".

"Nem a orientação sexual, nem a identidade de gênero em si são indicadores de um distúrbio mental".

O Dr. Frank Atherton, médico chefe do País de Gales, e Judith Paget, executiva chefe do NHS País de Gales, disseram em declaração conjunta: "O governo galês e o NHS apoiam totalmente a proibição da terapia de conversão LGBT+, testemunhada através de nossa assinatura do Memorando de Entendimento com a Coalizão contra a Terapia de Conversão".

Agora é possível acompanhar todas as notícias do iG Queer:  é só entrar no nosso grupo do Telegram.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários