Entenda como funciona o clareamento anal
Tim Gouw/Pexels
Entenda como funciona o clareamento anal

Os procedimentos estéticos para melhorar o aspecto da região íntima ganham cada vez mais popularidade. Uma das opções mais buscadas é o clareamento anal, que consiste no uso de alguns ativos para clarear a pele na região do ânus.

De acordo com Anderson Zei, dermatologista e tricologista, o clareamento anal tem sido mais procurado por mulheres. Nos últimos anos, os homens têm se informado sobre o procedimento e passaram a realizar para melhorar o aspecto da região.

O empresário Antônio*, 48, descobriu a existência do clareamento anal pela internet. Já Ricardo, 57, analista de crédito, conheceu no boca a boca: o procedimento foi indicado por um amigo que havia realizado, e Ricardo se interessou.

Zei explica que é comum que a pele da região anal seja mais escurecida. No entanto, essa coloração ainda mais escura pode se intensificar nos seguintes casos:

  • Pessoas obesas
  • Traumatismos
  • Infecções locais, como candidíase
  • Relação anal
  • Evacuação
  • Higiene traumática com papel higiênico.

Como funciona o clareamento anal?

Anderson Zei
Divulgação

O dermatologista e tricologista Anderson Zei

Zei explica que o clareamento anal e perineal é possível por meio da utilização de tecnologias estéticas e peelings químicos. Entre os ativos que podem ser usados está o ácido retinóico, mas o procedimento também pode ser realizado com hidroquinona e lasers.

O médico afirma que, para que a região seja efetivamente clareada, é necessária a realização de quatro a seis sessões. O tratamento inteiro pode durar por cerca de seis a oito meses, com isso, o valor do procedimento pode variar de R$ 3 mil a R$ 6 mil, a depender do grau da pigmentação anal e do número de sessões necessárias.

Leia Também

(Contiunue a leitura logo abaixo)

Leia Também

Segundo Zei, o procedimento não é doloroso. Antonio e Ricardo afirmaram não terem sentido qualquer tipo de dor durante o procedimento. Os incômodos aconteceram mais na recuperação: Antônio sentiu ressecamentos e Ricardo, coceiras.

A melhora da pigmentação pode acontecer em torno de 8 semanas após a realização das sessões. No entanto, o dermatologista ressalta que há casos em que o clareamento leva mais tempo. Em caso em que a hiperpigmentação é identificada, é necessário evitar o ato que intensifique novamente a coloração escura. “Se for trauma com papel higiênico, o melhor é reduzi-lo. Caso seja trauma causado pelas fezes, é importante melhorar o trânsito intestinal”, indica.

Em alguns casos, pode ser que o médico reforce o clareamento anal com outros produtos ou medicamentos que podem ser aplicados pela própria pessoa após o procedimento. São geralmente indicados os cremes despigmentantes, que são de fácil absorção. No entanto, Zei enfatiza que o creme deve ser prescrito por um profissional, já que podem causar efeitos colaterais. Além disso, eles devem ser aplicados na região ao redor do ânus para não causar desconfortos.

Contraindicações e recuperação após o clareamento anal

Zei explica que não há necessidade de preparo prévio para fazer o clareamento anal. No entanto, há alguns pacientes que não podem realizar o procedimento, são eles: pacientes com infecção local, herpes, tromboses, hemorróidas, fissuras, fístulas, hipersensibilidade e doenças de pele (como lúpus e HPV, por exemplo).

No caso da recuperação, o médico indica que os cuidados devem ser feitos na higiene da região. Antônio precisou usar lenços umedecidos para se higienizar, enquanto Ricardo suspendeu as relações sexuais durante a recuperação.

“Deve-se substituir o papel higiênico às duchas. Além disso, deve-se hidratar o tecido e evitar coçar o local para não causar traumatismos”, indica Zei.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários