Deputado Gilberto Cattani gera repúdios de entidades após postar que
Reprodução/Instagram
Deputado Gilberto Cattani gera repúdios de entidades após postar que "ser homofóbico é uma escolha"

O deputado estadual do Mato Grosso Gilberto Cattani (PSL) fez uma publicação considerada homofóbica e foi repudiado por diversos grupos que defendem os direitos da população LGBTQIA+ . No Instagram, o político compartilhou uma foto que dizia "ser homofóbico é uma escolha. Ser gay também".

A publicação do político causou indignação de diversas entidades e ativistas. "LGBTIfobia não é uma escolha, é um crime. Ser gay é uma bênção e deve ser motivo de orgulho. Se você não aceita, senta e chore. Respeite as composições dos 196 tipos de família, inclusive a tradicional", escreveu Toni Reis, Diretor Presidente da Aliança Nacional LGBTI+.

Segundo o G1, entidades enviaram uma carta de repúdio ao parlamentar. O Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual de Cuiabá (CMADSC), Grupo Livre-Mente, Conselho da Juventude (Conjuve), União da Juventude Socialista (UJS/MT), União Nacional Dos Estudantes (UNE), Coletivo Maes pela Divesidade – MT e Levante Popular da Juventude- MT assinam a nota.

"A postagem do referido deputado, serve de alimento para ampliar a violência contra pessoas LGBTQI+, somente por conta da orientação sexual e ou identidade de gênero. Cabe lembrar ao referido deputado que dia 17 de maio, comemoramos, o dia internacional de luta, onde a OMS (Organização Mundial de Saúde), retirou a homossexualidade do rol de doenças, a desideologização, assim como a heterossexualidade não é doença e tão pouco opção, a homossexualidade também não é", diz a carta.

As entidades exigiram uma retratação do deputado e disseram que, como agente público, Gilberto Cattani  deve entender o papel das instituições no combate às violências. "A defesa e a luta pelo fim da violência contra a população LGBTQI+, deve ser abraçada por toda sociedade, nossa luta, é pela valorização da vida. Importante reforçar que a população jovem LGBTQI+, tem 03 vezes mais propensão ao suicídio, por sofrerem no cotidiano, ataques e julgamentos negativos", diz a nota.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários