Primeiro-ministro britânico Boris Johnson
Jessica Taylor/Divulgaçao via Reuters
Primeiro-ministro britânico Boris Johnson

Durante as Perguntas do Primeiro Ministro (PMQs), Boris Johnson declarou que “quando  se trata de distinguir entre um homem e uma mulher, os fatores básicos da biologia permanecem extremamente importantes”. Depois disso, ele ainda disse que a parlamentar conservadora Angela Richardson levantou um relatório provisório da médica Hilary Cass sobre saúde de afirmação de gênero na Câmara dos Comuns na última quarta-feira (23). De acordo com ele, Hilary destacou que “a necessidade de mais pesquisas sobre meninas, porque tantas delas estão apresentando sofrimento de gênero”. 

Ao ser questionado se iria se reunir Richardson e outros colegas “preocupados” para debater como eles poderiam “apoiar construtivamente esses jovens que estão passando por problemas de gênero”, o primeiro-ministro britânico disse que ficaria feliz em responder, pois esta é uma questão que pede “extrema sensibilidade, tato, amor e cuidado”. Boris Johnson acrescentou ainda que aqueles que desejam realizar uma “transição em sua vida”, precisam ser tratadas com “a máxima generosidade e respeito possíveis”, colocando-se em contradição com as próprias falas anteriores. Ele destacou também que existem “sistemas neste país” projetados para apoiar pessoas transgênero no Reino Unido. 

Apesar disso, o primeiro-ministro adotou as próprias opiniões sobre a população trans ao usar o argumento de “fatores biológicos” anteriormente. Em declaração à PinkNews, a instituição de caridade Gendered Intelligence, liderada por pessoas trans, disse que os comentários de Boris Johnson durante o PMQs “sugere, na melhor das hipóteses, ignorância e, na pior, desprezo por pessoas trans e não-binárias”. Um porta-voz da instituição ressaltou: “Embora reconheçamos que o primeiro-ministro expressou sua resposta em um pedido de bondade para com aqueles que passam pela transição, sua referência aos 'fatos básicos da biologia' lembra os piores argumentos dos grupos anti-trans”.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários