Conheça iniciativas voltadas para a comunidade LGBTQIA+ para começar a apoiar
Sharon McCutcheon/Pexels
Conheça iniciativas voltadas para a comunidade LGBTQIA+ para começar a apoiar

Com a chegada do período de festas de fim de ano, faz parte da tradição de algumas pessoas reservar um espaço no bolso para fazer uma boa ação e doar para projetos comunitários. Ao longo do ano, diversas organizações buscam amparar e defender os direitos de pessoas  LGBTQIA+ -- e doar para uma delas pode ser muito importante para contribuir para que esse trabalho continue sendo realizado!

O iG Queer selecionou 15 iniciativas voltadas para a comunidade LGBTQIA+ para começar a apoiar neste ano. Foram selecionadas organizações de todo país, desde casas de acolhida e centros culturais até iniciativas que promovem capacitação profissional e apoio psicossocial.


Nacional

1- Empodera Trans

A plataforma permite que pessoas trans de todo Brasil divulguem trabalhos e ofereçam serviços de diversas vertentes, desde beleza e alimentação até moda e design gráfico. A plataforma é totalmente gratuita para as pessoas profissionais. Ao clicar na opção desejada, o site oferece as redes sociais e formas de contato para contratar os serviços.

A iniciativa do Empodera Trans atua diretamente na promoção da autonomia financeira, autoestima e valorização de profissionais trans. É possível conferir quais são os serviços e profissionais disponíveis em empoderatrans.com.br .

Norte

2- Casa Miga Acolhimento LGBT+ - Manaus, AM

A Casa Miga é a primeira casa de acolhimento para pessoas LGBTQIA+ da região Norte. O foco é de atendimento para pessoas brasileiras ou refugiadas que vivem em situação de vulnerabilidade social ou que foram expulsas de casa.

A organização foi fundada em 2018 pela Associação Manifesta LGBT e já acolheu mais de 110 pessoas de lá para cá; seja com acolhimento na casa ou com assistência jurídica. Também são oferecidos cursos como aulas de yoga, panificação, maquiagem e redação.

As doações recebidas pela casa são convertidas em suporte para as necessidades básicas das pessoas residentes, desde saúde até transporte e alimentação. Além de doações de cestas básicas e materiais de higiene e limpeza, que podem ser entregues no local, é possível fazer doações pelo link benfeitoria.com/p/casamigalgbt . A meta atual da organização é de conseguir receber R$ 5 mil mensais.

Nordeste

3- Instituto Boa Vista - Recife, PE

O Instituto Boa Vista foi fundado em 2008 com o intuito de auxiliar nas demandas de cidadania e direitos humanos de pessoas LGBTQIA+, com ações voltadas para prevenção de ISTs e HIV/Aids, capacitação e espaço de diálogo para a sociedade acerca da população.

A organização incentiva a preparação para pessoas que querem se inserir nos ramos de arte, esporte, cultura, moda e gastronomia. Além disso, também há ações voltadas especificamente para LGBTs com mais de 60 anos. As doações em dinheiro podem ser realizadas pelo PagSeguro ou por conta bancária: (Banco Banrisul / Agência: 0328 / Conta Corrente: 06027830-01 / CNPJ: 10.661.604/0001-32). As ações do grupo podem ser acompanhadas pelo Instagram: @institutoboavistape.

4- A Associação de Travestis e Transgêneros de Aracaju (Astra) - Aracaju, SE

Há 20 anos, a Astra promove ações sociais para auxiliar pessoas LGBTQIA+ em diversas frentes, desde saúde e educação até cidadania. Durante a pandemia, a organização decidiu começar um novo projeto, o Acódi LGBT, que arrecada e distribui produtos de higiene básica e alimentação para serem distribuídas para pessoas em vulnerabilidade social. Além disso, a Astra realiza eventos e festas que visam a arrecadação de doações.

As doações em dinheiro podem ser feitas pelos dados bancários da Associação Sergipana de Transgêneros (Banco Banese / Agência 047 / Conta Corrente 03/101.256-2 / CNPJ 04.850.745/0001-09).

5- Casa Aurora - Salvador, BA

A Casa Aurora acolhe pessoas LGBTQIA+ entre 18 e 19 anos que estejam em situação de vulnerabilidade social. A sede está localizada no centro de Salvador, já que é lá onde se concentra o local com mais diálogo sobre essa população. Além do acolhimento na casa, são promovidas atividades socioeducativas, aulas e atendimento a diversas demandas psicológicas e jurídicas.

A Casa Aurora aceita doações de alimentos e de roupas que são direcionadas tanto às pessoas moradoras como para o público externo. A organização também aceita voluntários. As doações em dinheiro são coletadas pelo link evoe.cc/casaaurora . Com R$ 100, é possível ajudar quatro pessoas.

Centro-Oeste

6- Casa Satine - Campo Grande, MS

A Casa Satine funciona como uma república de acolhimento, clínica social e espaço cultural e é a primeira iniciativa de acolhida para LGBTQIA+ no estado de Mato Grosso do Sul. Iniciativa do Instituto de Cidadania e Juventude e acolhe pessoas maiores de 18 anos que tenham sido expulsas de casa ou estejam vivendo em situação de vulnerabilidade.

A casa também organiza eventos e ações voltadas para a sociedade que mesclam as linguagens artísticas, culturais e educacionais, como saraus, rodas de conversa e outros eventos. A organização frequentemente cria campanhas em sites de financiamento, mas sempre aceita doações de roupas, alimentos e voluntários.

Sudeste

7- TransVest - Belo Horizonte, MG

Fundada pela vereadora Duda Salabert, a ONG promove cursos e atividades populares para acolher pessoas travestis e pessoas trans, além de promover inclusão e preparação pedagógica e profissional. Devido à pandemia, o espaço presencial só voltou a funcionar em novembro deste ano.

O projeto expandiu a atuação para curso de idiomas, aulas de defesa pessoal, apoio jurídico e psicológico e cursos preparatórios para vestibulares. A TransVest também realiza ações pontuais no Presídio de São Joaquim de Bicas, interior de Minas Gerais.

Leia Também

A meta atual de doações da TransVest é de R$30 mil mensais. Os valores são arrecadados pelo link evoe.cc/transvest . A organização dos pacotes para cada valor aponta como os gastos serão usados. Para se ter ideia, com R$50 é possível apadrinhar duas pessoas que se beneficiam das ações da TransVest.

(Continue a leitura logo abaixo)

Leia Também


Leia Também

8 - Casa Nem - Rio de Janeiro, RJ

A Casa Nem é uma casa de acolhimento e de apoio voltada e administrada por pessoas trans fundada em 2016. Além da acolhida em si, o intuito da organização é promover direitos básicos e auxiliar no resgate da autoestima dessa população. São cerca de 30 moradores LGBTQIA+, além das pessoas em situação de rua e vulnerabilidade do bairro do Flamengo, onde está localizada.

Esse trabalho é realizado por meio de cursos, oficinas, debates, eventos e ações de capacitação, como cursinho pré-vestibular e o projeto KuzinhaNem, que prepara profissionais trans para a área de assistência de cozinha. Atualmente, a Casa Nem precisa de R$ 21.389 mensais para funcionar e as doações podem ser realizadas por assinatura pelo link evoe.cc/casanem . Também é possível fazer doação de cestas básicas, alimentos, itens de higiene e roupas.

9 - Grupo Conexão G de Cidadania LGBT para Moradores de Favelas

- Rio de Janeiro, RJ

Com atuação no Complexo da Maré, o grupo tem como intuito contribuir para a prevenção da violência contra pessoas LGBTQIA+ nas favelas do Rio de Janeiro. Existente desde 2006, as ações têm foco na promoção de saúde e nos direitos humanos para questionar a vida dessa população nas comunidades; além de mobilizar a sociedade para construir espaços seguros para essa população.

As doações em dinheiro podem ser realizadas pelo link app.benfeitoria.com/p/conexaog pelos dados bancários do Grupo Conexão G (Banco do Brasil / Agência 1517-2 / Conta Corrente 26.475-x / CNPJ 15.829.595/0001-60).

10 - Casa 1 - São Paulo, SP

A Casa 1 é uma casa de acolhida localizada no centro de São Paulo, voltada para pessoas LGBTQIA+ que foram expulsas de casa pela família. A organização também atua como clínica social (com atendimentos psicoterápicos) e centro cultural (no Galpão Casa 1, que realiza eventos e aulas). O projeto auxilia 3,5 mil pessoas mensalmente; além do acolhimento, também oferece doações e atendimento para pessoas em situação de vulnerabilidade e de rua.

A atual meta do projeto é alcançar doações mensais de R$ 81 mil para conseguir expandir a atuação e o alcance do projeto. Pode ser doado qualquer valor ou realizar uma assinatura mensal pelo link benfeitoria.com/p/casa1 . É possível acompanhar as ações para a cidadania e a agenda de eventos pelo Instagram, @casa1.

11 - Casa Chama - São Paulo, SP

Situada na região da Sé, centro de São Paulo, a Casa Chama foi fundada em 2018 por financiamento coletivo, dando moradia para pessoas LGBTQIA+, realizando acompanhamento médico e doando cestas básicas e alimentos. Também são realizadas ações culturais, jurídicas e de autonomia financeira para pessoas trans. Dados divulgados pela própria organização apontam que, em 2020, cerca de 183 mil pessoas foram auxiliadas por meio do trabalho realizado.

Desde outubro deste ano, a Casa Chama afirma que pode fechar as portas por falta de recursos , isso porque precisa arrecadar R$ 31.350 mensais para conseguir continuar realizando as ações. As doações podem ser feitas pelo site benfeitoria.com/salveacasachama . A Casa Chama também aceita doações via Pix ([email protected]) e por dados bancários (Banco Itaú / Agência: 0593 / Conta Corrente: 162.35-7 / CNPJ: 39.315.535/0001-97).

12 - Casa Florescer - São Paulo, SP

A Casa Florescer é considerada a primeira casa de acolhida voltada apenas para travestis e mulheres trans no Brasil. Atualmente, a capacidade do espaço consegue acolher 30 mulheres em situação de vulnerabilidade. Além disso, a casa também oferece atendimento psicológico e social, além de organizar eventos e ações que visam a inserção no mercado de trabalho e reinserção social, como regularização de documentos, cursos de qualificação e segurança alimentar.

A Casa Florescer também organiza ações externas que visam a divulgação de informações e promoção de bem-estar a pessoas em situação de vulnerabilidade. É possível fazer doações para a Casa Florescer pelo link  app.picpay.com/user/apoiecasaflorescer .

13 - Coletivo Tem Sentimento - São Paulo, SP

A ONG tem como intuito prestar auxílio para mulheres cis e trans que vivem na Cracolândia, região central da capital paulista, oferecendo capacitação para facilitar a inerção no mercado de trabalho. As qualificações vão de corte, costura e economia criativa. A organização também recebe e doa itens como roupas, sacos de dormir térmicos, itens de higiene pessoal, sacolas sustentáveis, máscaras, bolsas e doces, por exemplo.

O coletivo também aceita doações em dinheiro, que podem ser realizadas pelo link abacashi.com/p/coletivo-tem-sentimento , Pix ou Agência Bancária (cujas informações estão no post abaixo). A meta atual da organização é conseguir chegar aos R$ 24 mil e as doações podem ser realizadas a partir de qualquer valor.

Sul

14 - Grupo Dignidade - Curitiba, PR

Com quase 30 anos de atuação, o Grupo Dignidade trabalha para avançar na conquista e na defesa de direitos da comunidade LGBTQIA+. A atuação do grupo é formada principalmente ao abordar a prevenção de ISTs e tratamentos para pessoas HIV, além da realização de ações afirmativas para essa população por meio de palestras, atendimento médico e psicológico e atividades sociais.

Para expandir a atuação, o Grupo Dignidade aceita doações por meio de chaves Pix e contas bancárias (informações disponíveis na postagem abaixo). Também é possível contribuir pelo link grupodignidade.org.br/doe .

15 - Igualdade RS - Associação de Travestis e Transexuais do RS - Porto Alegre, RS

O foco de atuação do grupo é oferecer orientação psicológica e jurídica para pessoas trans e travestis, além de ter como foco a inserção no mercado de trabalho; além de ações gerais para cidadania, saúde e direitos humanos. A associação também promove workshops e ações de inserção no mercado de trabalho para pessoas trans egressas ou que ainda estão dentro do sistema carcerário.

Durante a pandemia, a Igualdade passou a realizar distribuição de alimentos e cestas básicas para pessoas em situação de vulnerabilidade; além de distribuição de roupas e agasalhos, realizadas principalmente durante as estações mais frias. As doações podem ser entregues diretamente na ONG ou podem ser realizadas em dinheiro para o Pix 51 99849-9287.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários