Propaganda foi alvo de críticas
Reprodução/Snickers
Propaganda foi alvo de críticas


Uma empresa de chocolates foi criticada por um comercial com conotação homofóbica na Espanha. A Snickers pediu desculpas por conta do vídeo e apagou dos canais oficiais no Youtube. 

Na propaganda, um homem aparece pedindo ao garçom enquanto o amigo ao lado o acha estranho. Quando o garçom entrega uma barra do doce ao personagem, ele come e se transforma completamente, dizendo que está se sentindo melhor. 


Internautas criticaram o vídeo, dizendo que antes, o homem tinha características afeminadas e depois, masculinas. "Na marca Snickers, levamos os direitos de igualdade e inclusão muito a sério e acreditamos que qualquer pessoa tem o direito de se mostrar como é. Portanto, da Snickers, pedimos desculpas pelo mal-entendido que nossa nova campanha publicitária pode ter causado", afirmou a marca numa postagem no Instagram na última quinta-feira.

Você viu?

"Em nenhum momento (a empresa) teve a intenção de estigmatizar ou ofender qualquer pessoa, ou grupo. Nesta campanha específica, o objetivo foi transmitir de uma forma amigável e descontraída que a fome pode mudar a pessoa. Mais uma vez, lamentamos quaisquer mal-entendidos e, para evitar a divulgação de uma mensagem que possa ser mal interpretada, procederemos imediatamente à remoção da campanha", completou.

A propaganda foi estrelada pelo influenciador Aless Gibaja, conhecido como o 'Paris Hilton' espanhol. A Federação Estadual de Lésbicas, Gays, Transexuais e Bissexuais da Espanha (FELGT) repudiou a propaganda, como "vergonhosa e lamentável", segundo o portal "La Sexta". 

A ministra da Igualdade, Irene Montero, também critiou o vídeo. "Eu me pergunto quem poderia pensar que é uma boa ideia usar a homofobia como estratégia comercial. Nossa sociedade é diversificada e tolerante. Espero que aqueles que têm o poder de tomar decisões sobre o que vemos e ouvimos em comerciais e programas de TV também aprendem a ser assim", disse.

Em 2017, uma campanha da mesma empresa foi acusada de machismo no Brasil. Fotos das embalagens com palavras como 'lesada', 'reclamona' e 'mimimi', viralizaram nas redes sociais, causando críticas contra a empresa. 

Em outra publicidade, de 2015, Claudia Raia e Betty Faria apareciam dando chiliques quando estavam com fome. Mas bastava uma mordida no chocolate oferecido pelos amigos para que elas se transformassem em homens, legais e tranquilos.

Sobre as duas campanhas, a Snickers respondeu ao Buzzfeed na época dizendo que as barras de chocolate continham 31 palavras nos gêneros masculino e feminino e que a marca não teve nenhuma intenção de ser depreciativa e sexista. "O filme, assim como toda comunicação da marca, preza pelo humor. O conteúdo do filme 'Vestiário' reforça o conceito da campanha 'Você não é você quando está com fome' e mostra jovens que mudam de personalidade ao constatarem que estão famintas. A Mars valoriza a igualdade de gêneros e não compactua com nenhum tipo de descriminação". 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários