O paciente, que não teve o nome revelado, foi ao hospital para tratar um suposto problema urinário
Reprodução/Weirbo 07.07.2022
O paciente, que não teve o nome revelado, foi ao hospital para tratar um suposto problema urinário

Um homem chinês de 33 anos, que não teve o nome revelado, descobriu que é intersexo depois de procurar um médico para tratar um suposto problema urinário. O morador da pequena cidade na província de Sichuan, sudoeste da China, chegou a passar por uma cirurgia ainda na adolescência para corrigir a micção irregular, mas até então não havia tido nenhum diagnóstico correto sobre sua parte reprodutora.

Por mais de 20 anos, desde a cirurgia, o chinês percebia sangue na urina, mas não procurou ajuda médica. Foi só quando sentiu um desconforto abdominal que durou mais de quatro horas que ele recorreu a um médico que o diagnosticou com apendicite, no entanto, mesmo após o tratamento, os sintomas continuaram. As informações são do site South China Morning Post.

Por fim, em 2021, ele conseguiu fazer um check-up completo e a verdadeira causa das dores e da urina no sangue foi revelada: o chinês descobriu que é intersexo, possui cromossomos sexuais femininos, além de um útero e ovários tão saudáveis quanto uma mulher adulta. Ele também entendeu que as dores abdominais eram por causa da menstruação.

O rapaz buscou um hospital especializado em problemas de genitália, fez exames mais aprofundados e descobriu que seus níveis do hormônio sexual masculino estavam abaixo da média e que seus testículos eram inférteis, ou seja, não produziam espermatozóides.

Ele ficou chocado com a descoberta e pediu uma cirurgia para a remoção de seus órgãos reprodutivos femininos. O procedimento aconteceu no último dia 6 de junho e durou cerca de três horas. O chinês recebeu alta depois de 10 dias.

“O paciente ficou rapidamente à vontade e sua confiança foi restaurada. A partir deste ponto, ele pode viver sua vida como homem, mas não pode se reproduzir porque seus testículos não podem produzir esperma”, disse o cirurgião, Luo Xiping, que cuidou dele.

O médico recomendou que os pais observem cuidadosamente o crescimento e desenvolvimento de seus filhos porque um diagnóstico precoce pode resultar em menos trauma para os pacientes. O caso despertou ainda mais a necessidade de aulas de educação sexual no ensino público da China, principalmente para alunos de ensino fundamental e médio.

Agora você pode acompanhar o iG Queer também no Telegram! Clique aqui para entrar no grupo . Siga também o perfil geral do Portal iG .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários