As balas Gummy Hair não funcionam contra a queda de cabelo
Pixabay
As balas Gummy Hair não funcionam contra a queda de cabelo

Desde influenciadores digitais até pessoas próximas que estão por dentro do mundo da beleza, todo mundo tem divulgado a balinha de goma em formato de urso ou coração que promete fazer milagres para os cabelos, as unhas e a pele. O boca a boca, principalmente no feed do Instagram, é intenso quando o assunto é a bala gummy para os cabelos, um suplemento alimentar que promete combater a queda de cabelo e impulsionar o crescimento dos fios.

Assim, a gummy passou a ser desejo de consumo, seja para quem tem diagnóstico de alguma doença que causa a queda dos fios, seja para quem simplesmente quer ter cabelos mais sedosos e bonitos. Pessoas que fazem terapia hormonal de qualquer tipo, como pessoas transgênero, e perceberam que os fios começaram a cair também podem querer testar a bala.

A popularização do produto não significa necessariamente que ele funcione da forma como promete – e, de acordo com a nutróloga e tricologista Fernanda Cortez, realmente não é assim que a banda toca. De acordo com a médica, o suplemento alimentar não é indicado para uso e não funciona nem para auxiliar no crescimento dos fios e nem como aliado contra a queda de cabelo.

“Para falarmos sobre brecar queda capilar ou fazer o cabelo crescer, precisamos falar sobre o entendimento da causa da queda de cabelo. Não adianta a gente fazer uma promessa de que vai parar de cair e que vai fazer nascer cabelo se não há uma análise médica sobre o motivo”, começa a tricologista.

O que pode causar queda de cabelo?

Antes de explicar o motivo pelo qual as balas gummy não funcionam, Cortez afirma que é importante entender o que faz com que o cabelo caia. Existem diversas doenças que podem motivar a queda de cabelo. As principais são:

  1. Alopecia genética, a calvície: doença genética mediada por um hormônio masculino chamado Dihidrotestosterona (DHT). Quando há excesso de DHT, a queda de cabelo é maior;
  2. Eflúvio telógeno: excesso da fase telógena, que é a fase de queda do cabelo, que pode ser causada por diversos motivos: hipovitaminose (falta de vitaminas), doenças autoimunes, cirurgia recente, pós-covid

No caso de pessoas que fazem terapia hormonal, também é comum que haja queda de cabelo. No caso de pessoas trans, é mais comum que quem faça o tratamento com hormônios masculinos, como pessoas transmasculinas e homens trans, sejam as que mais desenvolvem o problema.

"A testosterona vira DHT por uma enzima chamada 5 alfa redutase, que é o hormônio da queda de cabelo. Também precisa verificar se o hormônio é sintético ou não", explica a médica.

A médica acrescenta ainda que é comum que cada pessoa perca em torno de 100 fios de cabelo por dia. “Quando passa disso é um sinal de alerta, e aí é necessário procurar um médico”, salienta Cortez.

Leia Também

Por que a bala gummy não funciona?

De acordo com as informações usadas para divulgar o produto, as balas poderiam auxiliar nos casos de hipovitaminose. Além dos açúcares que acrescentam o sabor (sendo tutti frutti e morango os mais corriqueiros), a composição das balas conta com diversas vitaminas, como A, B5, C, D e E. Algumas fórmulas podem contar ainda com biotina, proteínas, iodo e zinco, por exemplo. 

No entanto, Cortez aponta que a maneira como essas vitaminas são concentradas na goma impedem que o corpo consiga absorver – principalmente no caso da vitamina D. “A vitamina D é lipossolúvel. Ou seja, ela precisa estar em um ambiente de lipídio de gordura para conseguirmos absorver melhor. Por isso que a cápsula oral da vitamina D é oleosa. Tomá-la em uma cápsula não incentiva a absorção por parte do organismo. É muito marketing por trás”, explica.

Cortez ressalta que ainda não existe nenhum suplemento ou vitamina que consiga atingir a raiz do problema. “A inflamação que leva à queda está no folículo piloso, que fica no bulbo capilar, dentro do couro cabeludo. Não tem medicação via oral nenhuma que chegue ali”.

A tricologista acrescenta que, em tese, a concentração de vitaminas poderia ajudar a fazer o cabelo nascer com um aspecto mais bonito, mas de forma superficial. Isso porque não há nenhum tratamento efetivo sendo realizado.

Como brecar de vez a queda de cabelo?

Tudo começa na avaliação médica, quando o especialista consegue identificar com certeza o que está intensificando a fase telógena. “Antes de tomar qualquer suplemento alimentar, é preciso verificar se há deficiência nutricional ou doenças e fazer exames de sangue para checar os níveis de selênios, zinco, vitamina D, B12, ácido fólico, magnésio… tem muitas causas que impactam”, diz.

Em casos de hipovitaminose, existem vitaminas e suplementos que podem funcionar, mas devem ser prescritas por médicos e personalizadas de acordo com a necessidade do paciente. No entanto, o tratamento mais eficaz é a aplicação de ativos de forma intramuscular e endovenosa, em que o conteúdo é aplicado diretamente nos folículos pilosos, no couro cabeludo.

“Para brecar a queda, é preciso fazer uma infusão para tratar a inflamação que está levando à queda de cabelo. É preciso passar por tratamento injetável, ter uma prescrição totalmente individualizada. Assim é que se consegue diminuir a inflamação, melhorar a queda e melhorar o aspecto do cabelo”, finaliza.

Agora você pode acompanhar as notícias do iG Queer também no Telegram! Clique no link e entre no grupo .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários