Josh Gad se mostrou insatisfeito com representação de personagem gay em
Divulgação/Disney
Josh Gad se mostrou insatisfeito com representação de personagem gay em "A Bela e a Fera"

O remake live-action da clássica animação da Disney “A Bela e a Fera”, de 2017, teve uma grande repercussão por trazer o primeiro personagem assumidamente gay da empresa, na pele do personagem LeFou, interpretado pelo ator Josh Gad.

LeFou, porém, foi considerado um exemplo medíocre ao que se refere à representatividade LGBTQ+, e Josh parece ter concordado com as críticas. Em entrevista ao The Intependent, o ator afirmou que a produção não foi longe o suficiente para merecer elogios.

"Não fomos longe o suficiente para dizer: 'Veja como somos corajosos.' Meu arrependimento pelo que aconteceu é que se tornou o 'primeiro momento explicitamente gay da Disney' e nunca teve a intenção de ser isso. Nunca foi a intenção de ser um momento pelo qual deveríamos nos vangloriar, porque, francamente, acho que não o fizemos justiça ao que um personagem gay real em um filme da Disney deveria ser", declarou.

“Se vamos nos dar um tapinha nas costas, deveríamos ter ido mais longe com isso”, continuou o ator, que assumiu parte da responsabilidade para si.

“Todo mundo merece uma oportunidade de se ver na tela, e acho que não fizemos o suficiente – e certamente não fiz o suficiente para isso”, afirmou o ator.

Agora você pode acompanhar as notícias do iG Queer também no Telegram!  Clique no link e entre no grupo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários