Vereadora trans diz ser vítima de transfobia em Shopping de BH
Reprodução
Vereadora trans diz ser vítima de transfobia em Shopping de BH


Nesta segunda-feira (25), a vereadora Duda Salaber (PDT) denunciou em suas redes sociais um caso de transfobia. De acordo com a parlamentar, as funcionárias de um salão de beleza no Shopping Cidade, no Centro de Belo Horizonte, se negaram a recebê-la, alegando que “só atendiam mulheres”. 

A situação aconteceu em torno das 14h, após a vereadora sair de uma reunião na sede da prefeitura. Ela decidiu ir ao salão de beleza fazer a sobrancelha, mas foi impedida por uma atendente. “A atendente disse que lá só fazem sobrancelhas femininas. Respondi que a minha é feminina. Ela contou que não ia me atender porque não atendiam homens”, relata. 

Depois do ocorrido, Duda Salabert procurou a gerência do shopping a fim de realizar uma queixa. A administração a apoiou e a seguiu até a loja. Segundo a vereadora, as funcionárias admitiram o erro mas continuaram se negando a atendê-la. 

‘Esse episódio acontece tragicamente três dias depois da Assembleia manter o veto do Zema sobre o projeto de lei que pretendia, justamente, impedir atitudes como essa, punindo estabelecimentos que agem com discriminção pela identidade de gênero”, relata.

O Shopping Cidade se pronunciou afirmando que repudia a prática discriminatória. Informou, ainda, que irá apurar na conscientização dos lojistas para que a prática não se repita. O crime de transfobia, conforme o Supremo Tribunal Federal (STF), o crime de transfobia de compara com o racismo, ou seja, é inafiançável. A pena varia de três a cinco anos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários