Confira protocolos de segurança em saunas gay na pandemia e como funcionam as principais casas de São Paulo
Reprodução
Confira protocolos de segurança em saunas gay na pandemia e como funcionam as principais casas de São Paulo


As saunas gay são um ponto de encontro muito frequentado e buscado para se ter experiências sexuais. As casas estão reabrindo pouco a pouco conforme as restrições sanitárias vão se abrandando; no entanto, os cuidados para quem for frequentar precisam ser redobrados.

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam devido ao nome, as saunas gay possuem diversas configurações e não precisam levar o termo “sauna” ao pé da letra. A terapeuta sexual Aline Ambrosio afirma que essa é apenas uma das atrações disponíveis nesses espaços. Alguns deles são muitos similares a hotéis e possuem espaços com atrações diferentes.

“Há quartos de diversos níveis de conforto e privacidade e até corredores onde se pode fazer sexo casual sem contato visual e sem maior exposição física, exceto da região genital ou anal”, explica.


Outros espaços famosos nesse sentido são o Dark Room, uma sala completamente escura, e os Glory Holes, que são divisórias em que são expostos apenas os órgãos genitais. Algumas saunas gay também oferecem quartos habituais para quem quer uma experiência mais privada.

No entanto, o foco não é apenas em ambientes voltados especificamente ao sexo. “As saunas gay contém espaços para confraternizar e conversar, com bebida e música, espaços para dançar, cinema, espaço de massagem e outras terapias estéticas”, diz Aline. É proibido usar celulares na região interna. Os aparelhos devem ser guardados nos armários.

Funcionamento de saunas gay na pandemia

Armando Ferreira, 30, frequentou uma das saunas após a reabertura e diz ter percebido muitas mudanças. “O número de pessoas no local foi bem reduzido. Algumas vezes existia fila de espera e o uso de máscara é obrigatório nos andares”, explica. Ambrosio aponta que alguns estabelecimentos estão aderindo aos tapetes sanitizantes, higienização de ambientes e disponibilizando álcool em gel.

Ele explica que, em teoria, protocolos como medição de temperatura e o uso de máscara são realizados, mas salienta que nem todos os frequentadores seguem as medidas de segurança na prática. “Ao meu ver, corri um risco porque muitas pessoas andam sem máscara pelo local. Vai do cuidado individual de cada um, pois é um risco que sempre vai existir”.

Em relação ao ambiente das saunas a vapor, o risco de propagação é maior. “O vírus se espalha por gotículas e, em um ambiente cheio de gotículas, acaba-se perdendo mais o controle de saber onde elas estão. Esse tipo de ambiente pode aumentar o risco de transmissão da Covid-19”, explica o infectologista Antônio Ganme, coordenador da UTI e criador de um grupo de estudos sobre a Covid da Rede D’or.

O especialista explica que é possível fazer o uso de máscara nas saunas à vapor, desde que o filtro dela esteja funcionando corretamente. Além disso, a máscara usada neste ambiente precisa ser descartada após a saída da sauna à vapor, pois o filtro fica úmido e perde a validade.

Armando afirma que percebeu redução de pessoas no espaço da sauna inteira. Além disso, foi estipulada limitação de pessoas em espaços como piscinas, saunas secas e a vapor — em alguns estabelecimentos, esses espaços foram interditados devido ao alto risco de propagação da Covid-19.

Como posso me prevenir da Covid-19 em saunas gay?

Ganme afirma que a maior parte das contaminações ocorrem pela transição das mãos para o rosto, principalmente às regiões da boca e nariz. Por isso, é importante sempre fazer a higienização das mãos com água e sabão e álcool em gel 70%.

“Faça uso de máscara em qualquer ambiente que seja mais fechado ou não localizado em área externa, como um parque”, orienta. O infectologista orienta que mesmo pessoas completamente vacinadas contra a Covid-19 continuem seguindo os protocolos de segurança.

Manter uma distância segura das pessoas também é fundamental. “As pessoas precisam aprender a se tocar menos e tocar menos nas outras. O povo latino é muito íntimo e se aproxima demais. Aquela história de checar no pé do ouvido e cochichar, por exemplo, não pode. Isso aumenta a segurança em relação às transmissão da Covid-19”, informa.

Apesar da “tentação”, Ambrosio afirma que o melhor no momento pode ser evitar expor as vias respiratórias (ou seja, manter sempre a máscara e deixar o sexo oral e beijos para depois) e salienta a importância do preservativo, já que o novo coronavírus pode ser transmitido em secreções genitais e fezes. A terapeuta sexual diz que os frequentadores podem optar pelos Glory Holes porque permitem apenas a penetração sem muitos contatos físicos.

O que ajudou Armando a se sentir seguro foi optar pelos quartos ou cabines em vez de circular pelas áreas comuns. “Deu para fugir das aglomerações e lá se pode tirar a máscara com frequência. É um espaço fechado que pode ser alugado para levar mais pessoas ou até mesmo descansar”, afirma.

(Continue lendo logo abaixo)

Leia Também

O frequentador diz que essa opção é mais prática do que a locação de armário, optado pela maioria. “Nessa situação a pessoa não terá um ambiente fechado e ficará andando pela sauna sem poder tirar a máscara”, explica.

Para Natali Gutierrez, sexóloga e sócia do sex shop Dona Coelha, é importante saber se o local é bem higienizado e como foi preparado para receber os visitantes. No entanto, devido à alta exposição, ela afirma que o divertimento talvez não valha a pena para o momento atual. “Às vezes acontece uma transmissão e a pessoa passa isso para alguém da família. É importante, de repente, pensar se esse é o melhor ambiente para se estar neste momento”.

Seguir os protocolos sanitários contra Covid-19 e usar preservativos mantém frequentador protegido
Reprodução
Seguir os protocolos sanitários contra Covid-19 e usar preservativos mantém frequentador protegido


Proteção de ISTs e etiqueta em saunas gay

Ambrosio afirma que existem algumas regras implícitas que devem ser seguidas ao visitar uma sauna. O intuito delas é manter o ambiente seguro e confortável para todas as pessoas presentes. A primeira delas é que não é obrigatório ter relações sexuais. “É preciso ter responsabilidade e proteção e entender o que é não. Não é só porque você está na sauna que deve simpatizar com todos”, complementa Armando.

As saunas gay permitem que os frequentadores andem nus, de roupas íntimas ou apenas de toalha pelos espaços. No entanto, tirar as roupas também não é obrigatório para quem somente quer conhecer a casa ou não se sente à vontade no local.

Tanto a terapeuta sexual quanto o frequentador explicam que também é importante ter bom senso. “Se alguém mostrar que não está interessado em se conectar, educadamente se afaste e não insista”, diz.

Armando também reforça a importância de maneirar com o álcool e o consumo de drogas. “Não é legal lidar com pessoas descontroladas”, afirma. “Caso o frequentador se sinta invadido ou desrespeitado, é importante pedir auxílio ao staff da sauna para evitar atritos e situações constrangedoras”, acrescenta Ambrosio.

Também é preciso ter cuidado com a transmissão de ISTs. “A gente sempre tem que tomar cuidado com os relacionamentos sem preservativo. Seja no  sexo oral ou no anal , não dispense o preservativo. Ele é a maior maneira de proteger infecções”, orienta Gutierrez.

No caso de pessoas que vão às saunas gay com frequência ou profissionais do sexo, Ambrosio afirma que há a possibilidade de investir no PEP e PrEP, em medicamentos que reduzem a transmissão do HIV . “Estas drogas devem ser tomadas de forma contínua e sob prescrição médica. O SUS fornece estas medicações em centros especializados”, indica a terapeuta sexual.

Veja como estão funcionando as principais saunas gay de São Paulo durante a pandemia




269 Chilli Pepper Single Hotel

O hotel-sauna possui diversas opções de acomodações, desde armários até suítes presidenciais. O local possui área externa com piscina, bares, saunas, glory holes e diversos espaços temáticos. Além disso, o espaço oferece chinelos e toalhas.

O protocolo do hotel inclui medição de temperatura, capacidade reduzida, esterilização de ambientes, distanciamento social, avisos educativos, tapetes sanitizantes e túneis desinfetantes. O espaço passou por reformas durante a pandemia para garantir a segurança dos frequentadores. Às terças-feiras, o hotel dá desconto para imunizados.

Onde: Rua Largo do Arouche, 610 - Santa Cecília, SP
Horário: 24 horas
Preço: Variam de R$58 a R$712

Dédalos Bar

Localizado na região central, o Dédalos Bar possui bar, games, mini cinema, cabines, glory holes, glory ass e até labirinto. É obrigatório o uso da máscara e a temperatura dos frequentadores é checada na entrada. As mãos devem ser higienizadas após a chegada. Dispensers de álcool em gel estão disponíveis no espaço do bar. Às quartas-feiras, o Dédalos Bar dá desconto para frequentadores imunizados que apresentarem a carteira de vacinação.

Onde: Rua Bento Freitas, 38 - República, SP
Horário: Das 7h às 23h de segunda à quinta; 24h aos sábados, domingos e feriados
Preço: De segunda à quinta, R$25; Sexta a domingo e feriados, R$39

Espaço Lagoa Sauna

O local oferece saunas secas e úmidas, banheira de ofurô aquecida, duchas, sala de musculação, bares, deck e até espaço de TV com programação esportiva; além de noites de karaokê, bingo e shows. O estabelecimento segue protocolos de uso de máscara obrigatório, álcool em gel, medição de temperatura, tapetes sanitizantes, higienização da casa e distanciamento social.

Onde: Rua Pedro Taques, 130 - Consolação, SP
Horário: Das 15h à meia-noite, todos os dias
Preço: Variam de R$30 a R$65

Wild Thermas Club

O antigo sobrado que abriga o Wild Thermas tem cabines privativas, saunas, sala de vídeo erótico, dark room e bar. Além disso, a sauna também oferece serviços de estética, desde depilação até limpeza de pele e massagem. Há shows de gogo boys.

Durante a pandemia, a sauna funciona com agendamento prévio. O uso de máscara é obrigatório por parte de frequentadores e da equipe. Há medição de temperatura na entrada. Superfícies são desinfectadas entre um cliente e outro.

Onde: Rua Doutor Veiga Filho, 802 - Higienópolis, SP
Horário: Das 14h às 23h
Preço: Variam entre R$38 a R$50

Le Rouge 80

Além da diversidade de saunas e serviços de beleza e bem-estar, como hidromassagem, massagista e piscina com cachoeira, o Le Rouge 80 dispõe de bar, dark rooms e duchas; além de quartos privativos.

Frequentadores sugerem entrar em contato antes de visitar devido à pandemia. O estabelecimento está funcionando com a capacidade reduzida. Os jantares cortesia da casa estão suspensos por tempo indeterminado.

Onde: Rua Arruda Alvim, 175 - Pinheiros, SP
Horário: Das 14h às 21h; sextas, sábados e domingos até às 22h
Preço: R$60 em dinheiro e R$65 no cartão

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários